sábado, 10 de novembro de 2012

Quase lá

Como muitos de vocês sabem, sou mãe, solteira e sozinha...e nada é tão difícil para uma mãe solteira e sozinha como encontrar equilíbrio entre a vida profissional e os cuidados com os filhos.
Vitória agora está com 3 anos, e como foram difíceis esses anos.
Nos primeiros 6 meses pós nascimento de Vitória vivemos no olho do furacão, eu desempregada, casa sem luz, água, comida, contando com ajuda de quem nos conhecia e de quem não nos conhecia.
R$100 reais de pensão para comprar fralda e leite para uma criança alergica a lactose, e quando entreou na fase da papinha tinha que dar para comprar frutas e legumes, e é claro que  não dava.
Recordo-me como se fosse da dor no coração com a qual vendi tudo o que tinha em casa: dvd, computador, camera fotografica, celular, video game, bicicleta, e quando não havia o que fazer, vendi todas as panelas de casa para um ferro velho, sacrificio que valeu a pena, foi o inicio da minha luta.
Depois até consegui um emprego, mas a escolha era dolorida, ou trabalhar ou estar com a filha, e deixei minha filha pequena aos cuidados de outra pessoa, deixava ela com a pessoa por volta das 8:00 da manhã e buscava lá pelas 22:00 horas, e passava o dia falando dela, com saudades, pensando nela. Emprego temporário, rua novamente, mas ai ja estava mais forte determinada a mudar minha historia.
Fui ser diarista na casa de uma Sra. muito boa que permitia que a Vitoria fosse trabalhar comigo todos os dias, lá Vitoria aprendeu a andar, falar e a chamar D. Therezinha de vó, este era o nome da minha patroa, com quem fiquei até que um dia recebi um telefonema do Hospital São Camilo e do supermercado Tenda, no mesmo dia, optei pelo São camilo, e era Deus agindo na minha vida.
Os meses foram se passando e fui me apaixonando pelo ambiente do São Camilo, e com o salário de lá honrei dividas, sustentei minha casa, realizei desejos de minha pequena e meus.
Dois anos depois apareceu uma nova oportunidade, em outra ramificação do São Camilo, e hoje estou eu na Cruzada Bandeirante São Camilo, lembrando dos tempos de dificuldade apenas como aprendizado, sem aflição, dor ou preocupação.
Me deram uma oportunidade e eu só tive que mostrar o meu trabalho e as oportunidades foram aparecendo, e eu fui aproveitando.
Dos sonhos que tive, das coisas que almejei, posso afirmar, estou quase lá. E cada lágrima que eu derramei, e cada suor que eu derramei, e cada tombo que eu levei, serão lembrados como lição, como aprendizado.
E se hoje eu cheguei ao primeiro degrau, devo isso as pessoas maravilhosas que Deus colocou no meu caminho para me ajudar.
Das falhas que cometi fica o arrependimento, e das conquistas que alcancei fica a lição: trabalhar sem cessar, evitar o óssio, usufruir do resultado dos sacrificios com sabedoria, trabalhar com ética e paixão, pantar sementes boas para garantir a qualidade dos frutos.
De onde quero chegar...estou quase lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante!