segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Desejos para 2013!

Desejo que em 2013 eu possa dar mais do que receber;
Ouvir mais do que falar;
Desejo ajudar mais do que ser ajudada.
Desejo que não me falte ânimo, entusiasmo e criatividade para o trabalho.
Desejo que não em 2013 não me falte saúde para ir atrás daquilo que  desejo.
Espero apenas que em 2013o desanimo não seja companheiro, e o cansaço seja facilente superado.
Desejo que em 2013 eu aproveite mais o meu tempo, que eu possa ficar mais com a minha família.
Desejo que 2013 seja o ano da paz, da caridade, da solidariedade, da amizade.
Se eu pudesse queria em 2013 não ser tão suscetível ao amor, mas como se trata de uma condição humana, o jeito vai ser me virar do jieto que der.
Desejo que em 2013 Deus comando meus passos do instante em que eu me levantar até a hora em que adormecer.
E que em 2013 não falte a niguém, amor, amizade, caridade, companheirismo e fé.

sábado, 24 de novembro de 2012

Família Moderna

Fugir do tradicional em alguns casos pode sim  dar  certo.
Tenho muitos amigos que moram juntos sem serem casados e que levam uma vida muito mais digna do que alguns casais de certidão.
E tenho amigos casados no papel que também levam uma vida perfeita.
Cada um constituiu sua família de acordo com o que acha certo na vida, ou de acordo com as circunstancias.
A minha família é uma dessass famílias sem certidões, fora do politicamente correto, mas que tem de sobra algo que esta faltando em muitas famílias: amor, atenção, companheirismo.
Demorou, mas o pai da Vitória entendeu a importância da presença dele, e passou a ser mais ativo quanto ao seu papel de pai.
No entanto, mesmo vivendo a nossa vida sem nos metermos na vida de ninguém, somos alvo de línguas preconceituosas.
Quero que minha filha cresça se orgulhando da família que tem, porque somos parte de um pequeno grupo de família de pais separados cujo os pais não perdem tempo brigando e discutindo.
Somos diferentes sim, mas não pela constituição de nossa família, mas por compreendermos que o essencial é invisível aos olhos!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Como fica quem fica!?

Recordo-me como se fosse das inúmeras noites em claro que passei ao lado da minha mãe em conversas que pareciam não ter fim, e não tinham mesmo, duravam noites e noites, e só eram interrompidas quando o cansaço tomava conta da gente, preferíamos dormir após o horário do almoço.m
Para mim que sou espirita, esta sendo um exercício árduo e continuo compreender e aceitar a partida de minha mãe e de meus filhos, mais a da minha mãe, a dos meus filhos absorvi como um aprendizado, uma preparação para eu ser a mãe que sou hoje.
Mas a partida da minha mãe, esta para mim nunca deixou de ser um grande despropósito da vida, de Deus, da natureza, lamento muito pensar assim, mas também não consigo pensar diferente.
Tenho uma memoria curtíssima, esqueço coisas recentes, mas nunca irei me esquecer do dia em que perdi minha mãe.
Estamos todos nos preparando para sair, era dia 07 de julho de 2005, minha mãe tomou banho, fui cuidar de preparar  algo para ela comer e minha mãe foi ajuda-la a trocar de roupa. Ai em meio ao silencio o grito da minha irmã: MÃE, e meu pai foi atrás de mim, e pediu, socorre sua mãe, ela não esta passando bem.
Como se socorre alguém que se ama com a grandeza com a qual amo minha mãe? Horas e horas de cursos e treinamento, e a primeira vez que tenho q usar o que aprendi é com alguém que era parte de mim, de quem eu era uma pequena extensão.
Estranhamente comecei a repetir eu te amo, eu te amo, e a massagem cardíaca funcionou, mas por um tempo muito breve, ela voltou, olhou fixo nos meus olhos como se fosse me dizer algo, e eu nunca mais pude ver o tom de seus olhos.
Agora me diz, como fica quem fica? E não me venha com essa historia de superação, de que Deus não dá fardo maior do que podemos carregar. Quem disse que eu estou suportando o meu fardo? Quem?
A vida alivia o fardo de quem vai, mas não tem solução para o fardo de quem fica.
E como fico eu? e como fica quem fica?
Sem respostas de livros e teorias mirabolantes, me respondam, e como fica quem fica.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Você sabe o que é amizade?

Amizade é quando algo bom acontece na sua vida e você tem ao seu lado alguém que vibra com tanta intensidade que faz o momento muito mais especial do que de fato deveria ser.
Amizade é quando você está feliz e o sorriso maior que se vê é o que está ao seu lado.
Amizade e quando você realiza um sonho e a felicidade maior esta no coração da pessoa que esta ali ao seu lado te acompanhando.
Amizade é quando se possui a capacidade de amar as conquistas do outro, é a capacidade que se adquire em ser feliz e comemorar a felicidade do outro.
Amizade é quando o mundo desaba na sua cabeça, e antes mesmo de você pensar em pedir ajuda, ali esta um ombro para você chorar.
Amizade é o elo que une corações mesmo que eles estejam a milhas e milhas de distância.
Amizade é quando pessoas antes desconhecidas passam a ser família e a dividirem o amor em sua forma sublime.
Amizade é o que acontece entre Renatha, Fernanda, Juliana e Viviane .
Amizade é a construção mais sólida de um coração, e posso afirmar que a nossa construção está mais para uma fortaleza.
Quando penso em amor, é elas que surgem na minha mente.
Quando penso em companheirismo, é nelas que penso.
Quando penso em fidelidade, não consigo pensar em nada maior do que o que elas me oferecem.
Quando penso em família, daquelas que agregamos ao longo da vida, penso que formei a melhor de todas, pq elas são a família que Deus me reservou.





 




Quando penso em algo verdadeiro, intenso, duradouro, eterno, é no elo que construímos que penso.
Meninas, vocês são tudo de melhor, de ótimo que a vida poderia me reservar.
Amo com o que há de mais intenso em mim cada uma de vocês.
Vocês são a certeza de existem irmãos de sangue e irmãos de alma com total capacidade de construir elos indissolúveis.




sábado, 10 de novembro de 2012

Quase lá

Como muitos de vocês sabem, sou mãe solteira e sozinha...e nada é tão dificil para uma mãe solteira e sozinha como encontrar equilibrio entre a vida profissional e os cuidados com os filhos.
Vitória agora está com 3 anos, e como foram dificeis esses anos.
Nos primeiros 6 meses pós nascimento de Vitória vivemos no olho do furacão, eu desempregada, casa sem luz, água, comida, contando com ajuda de quem nos conhecia e de quem não nos conhecia.
R$100 reais de pensão para comprar fralda e leite para uma criança alergica a lactose, e quando entreou na fase da papinha tinha que dar para comprar frutas e legumes, e é claro que  não dava.
Recordo-me como se fosse da dor no coração com a qual vendi tudo o que tinha em casa: dvd, computador, camera fotografica, celular, video game, bicicleta, e quando não havia o que fazer, vendi todas as panelas de casa para um ferro velho, sacrificio que valeu a pena, foi o inicio da minha luta.
Depois até consegui um emprego, mas a escolha era dolorida, ou trabalhar ou estar com a filha, e deixei minha filha pequena aos cuidados de outra pessoa, deixava ela com a pessoa por volta das 8:00 da manhã e buscava lá pelas 22:00 horas, e passava o dia falando dela, com saudades, pensando nela. Emprego temporário, rua novamente, mas ai ja estava mais forte determinada a mudar minha historia.
Fui ser diarista na casa de uma Sra. muito boa que permitia que a Vitoria fosse trabalhar comigo todos os dias, lá Vitoria aprendeu a andar, falar e a chamar D. Therezinha de vó, este era o nome da minha patroa, com quem fiquei até que um dia recebi um telefonema do Hospital São Camilo e do supermercado Tenda, no mesmo dia, optei pelo São camilo, e era Deus agindo na minha vida.
Os meses foram se passando e fui me apaixonando pelo ambiente do São Camilo, e com o salário de lá homrei dividas, sustentei minha casa, realizei desejos de minha pequena e meus.
Dois anos depois apareceu uma nova oportunidade, em outra ramificação do São Camilo, e hoje estou eu na Cruzada Bandeirante São Camilo, lembrando dos tempos de dificuldade apenas como aprendizado, sem aflição, dor ou preocupação.
Me deram uma oportunidade e eu só tive que mostrar o meu trabalho e as oportunidades foram aparecendo, e eu fui aproveitando.
Dos sonhos que tive, das coisas que almejei, posso afirmar, estou quase lá. E cada lágrima que eu derramei, e cada suor que eu derramei, e cada tombo que eu levei, serão lembrados como lição, como aprendizado.
E se hoje eu cheguei ao primeiro degrau, devo isso as pessoas maravilhosas que Deus colocou no meu caminho para me ajudar.
Das falhas que cometi fica o arrependimento, e das conquistas que alcancei fica a lição: trabalhar sem cessar, evitar o óssio, usufruir do resultado dos sacrificios com sabedoria, trabalhar com ética e paixão, pantar sementes boas para garantir a qualidade dos frutos.
De onde quero chegar...estou quase lá! 

O que vida da vida!

Até eu chegar a ser a mulher que sou hoje, passei por diversas etapas, algumas delas nem me dei conta, pois eu tinha olhos e ouvidos que viam e ouviam por mim, eu tinha uma especie de filtro, que só deixava chegar até mim aquilo que não podia me ferir, esse filtro chamava-se mãe.
Recordo-me como se fosse hoje do quão bela minha mãe fazia a vida parecer.
Domingo era dia de ir a missa, e era lei não repetir a roupa, então quando as combinações acabavam lá estávamos nós na loja comprando mais roupas, e o carinho com que minha mãe as escolhia.
Lembro-me das nossas idas a manicure a cabeleireira (gosto que eu de fato não adiquiri), minha mãe sai mais bela do que nunca, e eu sempre saia de unha pintada..rs
Iamos ao supermercado todos os sabados, e ir ao supermercado era programa de familia, íamos mamãe, papai, irmã e eu, depois de uns anos agregou-se ao passeio minha sobrinha.
Tudo era liberado, não conheciamos os preços, conheciamos nossos gostos, e o melhor disso eram as receitas que mamãe sempre preparava depois das idas ao mercado.
Sinto saudades da casa cheia, familia reunida, primos, primas, amigos, e agregados, todos sempre bem vindos, fazendo a casa transbordar em alegria.
Até então eu vi a vida com cores vibrantes, com alegria constante, com uma paz contagiante.
Ai, em 6 de julho de 2006 as 15:00 tudo mudou.
O sorriso aberto e constante de minha mãe se transformou num semblante de medo e dor, e os seus olhos fixos em mim pareciam não compreender o que eu dizia: mãe eu te amo, eu te amo, eu te amo, e o brilho daqueles olhos que iluminavam a minha vida se apagaram para sempre, e toda aquela cor da vida se acinzentou.
E a vida tomou tons de preto e cinza.
E toda alegria e disposição que eu tinha em viver se esvaiu. E eu silenciei minha alegria, abafei meu riso, e morri um pouco junto com aquela que trazia alegria para a minha vida.
Mas a vida continuou, e a minha maneira eu segui em frente, colori a proprio punho as imagens em preto e branco, mas eu ainda tinha muito o que ver da vida.
Engravidei, vi meu filho Pedro nascer grande e bonito, e três dias depois enterrei, sem vida, sem beleza, e a vida novamente perdeu sabor.
Mas eu persisti, peguei minha aquarela e sai dando cor a tudo o que aparecia, ai veio Maria Luiza, e qaundo eu achei que o arco iris tinha aderido as cores que eu havia jogado nele, minha filha nasceu e faleceu sem que eu pudesse conhecê-la com vida.
Ai eu fui mais fundo, parei na frente de um espelho e disse, até quando Deus a vida terá esse borrão de cinza, e ele me mandou a vitória, a minha filha Vitória, que enche a minha vida de cor e alegria, que faz eu querer lutar dia após dia de forma incansável, como se minha energia se recarregasse quase que automaticamente.
Ai passei a ver a vida sem cansaço, com uma sede absurda de vencer as diversidades, de vencer os meus limites, de tornar-me alguém cada vez melhor, maior dentro de mim mesma.
E passei a ver a vida em tons coloridos porém transparentes em 50%, pois não há um só dia que a morte daqueles que tanto amo não me doa e não me faça chorar.
Vi a vida em todas as cores possíveis, e não sem dor, aprendi que até nos tons de cinza, há algo bom subentendido, pois tornei-me uma pessoa melhor talvez não pelas vitórias, mas sim pelas derrotas que tive na vida.
Hoje vejo a vida sem os pés nas nuvens da minha infância, e também sem o peso da dor que sofri na vida adulta, vejo a vida como um mar de possibilidades, no qual cabe a mim aprender a navegar.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

A saudades fala através de mim

Mãe, sua benção!

Queria ter a sua receita de fazer as coisas darem certo. Com você por aqui tudo parecia tão fácil.
Como estão fazendo falta aquelas nossas conversas de madrugada, o abraço apertado, o beijo  estalado, seu cheiro, sua pele.
A impressão que tenho mãe, é a de que nunca vou acertar, de que nunca vou conseguir por as coisas no lugar.
Recordo do passado e lembro da forma com que você conduzia as coisas, cuidava da casa, cuidava de nós, com uma paciencia invejavel, com o orgulho de quem nasceu para a vida em familia.
Mãe, o que é isso que aperta meu peito e tira meu ar?
O que é essa dor que me paralisa?
Por quanto tempo mais esta dor vai doer assim de machucar ?
Te amo mãe, infinitamente.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Ler Faz Crescer


Só quem tem uma criança em casa sabe a capacidade que a criança tem de sonhar, e principalmente de acreditar naquilo com que sonha.Papais e mamães, ou como é no meu caso, pães (mãe e pai), vamos lá fazer a nossa parte e ajudar nossos filhos a sonhar.
Vitória está hoje com 3 anos e 6 meses, e o presente que ela mais gosta de ganhar são livros, de preferência os bem grandes e coloridos segundo a própria.
E agora a galerinha pequena e os nem tão pequenos assim que gostam de ler podem contar com a ajuda do banco Itaú, que esta dando de graça livros de história. Para ganhar os livros basta separar 10 minutinhos e abandonar o facebook e se cadastrar no site.
Quem se cadastrar receberá depois de 15 a 20 dias 3 livros muito fofos.
Aqui em casa já temos 6 livros da coleção do Itáu, e o que mais gostamos leva o título de Advinha o quanto eu te amo.
Então fica a dica para os amantes da leitura.
Quem não quiser ficar só nos livros do Itaú, no Plaza Shopping tem um quiosque de venda de livros tambném, e tem livros interativos excelentes lá.
Vitória adquiriu um livro interativo por R$ 50,00, super barato em vista da viagem que o livro proporciona.
Lembrem-se papais, caro não é gastar R$50,00 em livros, caro mesmo, vai sair você não investir na educação e cultura de seu filho.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Deseducando

Nos últimos dias o tema educação tem norteado meus pensamentos de uma forma constante.
Tenho me perguntado constantemente qual a força da escola diante de pais t]ao despreparados.
Minha filha está com 3 anos, e está no maternal II de uma creche municipal aqui na cidade de Itu, CI Lucy Franco Motoro é o nome da escola que ela frequenta, e confesso que esta escola superou todas as minhas expectativas, no entanto, sei que de nada adianta a escola se quando o aluno retorna para casa a família não compartilha com a escola os meus valores, e vice-versa.
Para começo de conversa, o aluno já deve ir para escola consciente de bons valores, a escola esta lá para ensiná-lo academicamente, já  a família está ali para educá-lo socialmente, o que não impede que uma participe nas obrigações da outra.
Mas cabe a escola ressaltar valores que a criança tem que trazer de casa.
Na escola eles aprendem as palavrinhas mágicas - por favor, com licença, obrigado, o que não irá adiantar muito se em casa ela só ouvir, sai para lá, sai da frente, e palavrões, palavrinhas nada mágicas.
Na escola a criança aprende o valor da leitura e a importância do cuidado com os livros, mas de que adianta se quando ela chegar em casa deparar com livros sendo utilizados como apoio de móveis, sendo rabiscados, isso é, se houver livros pela casa.
A escola ensina o respeito com os amigos, com os mais velhos, e muitas famílias ensinam suas crianças e jovens a não ceder o lugar no onibus, a não ceder o lugar na fila, e que a professora não merece tanto respeito quando pede.
Uma geração de pais menos preparados estão criando e deseducando aqueles que irão cuidar do futuro do país, do planeta, o que podemos esperar para o futuro?
Impossível acreditar que as famílias estejam tão ocupadas que não possam acompanhar mais de perto e com mais comprometimento a vida letiva dos filhos, o cotidiano de suas crianças e jovens.
Estamos atribuindo a escola e aos professores uma tarefa que pertence a nós pais, que é educar, fundamentar valores para que nossos filhos construam sua personalidade e desenvolva seu caráter.
Ao transferirmos a educação de nossos filhos para os professores, estamos falsamente nos isentando de responsabilidades que futuramente, fatalmente irão recair sobre nossos ombros.
Papais e mamães, nós educamos, e os professores ensinam!

quarta-feira, 28 de março de 2012

Lendo e aprendendo


Para papais e mamães que são adeptos a presentear seus filhotes com livros, deixo uma dica: a coleção de livros de historia com os personagens da turma da mônica.

Chama-se coleção fantasia, e é composta pelos seguintes títulos: A pastorinha; Aladin; Ilha do tesouro; Rei Arthur; João e o Pé do feijão; Pinóquio; Romeu e Julieta e Simbad.
E o melhor de tudo, cada livrinho vem com um bonequinho brinde relacionado ao tema do livro.
Livro e brinde saem nas bancas por apenas R$4.99, um presente bom, bonito, barato.

Criança precisa de diversão, e a leitura pode, se usada da maneira correta, ser uma fonte inesgotável de diversão.
Aqui em casa o livro da semana é o de tema Pinóquio, estou trabalhando com a Vitória a importância de dizer sempre a verdade.
Semana passada lemos juntas e passamos a semana desenhando e conversando sobre o livro Romeu e Julieta.
Tanto quanto um brinquedo o livro abre mil caminhos para tornarmos os momentos com os filhotes muito divertidos.

Ontem comprei uma massa de modelar para a Vitoria, e ela logo tratou de fazer um nariz de Pinóquio para a boneca dela, e quando perguntei por que ela havia feito o nariz para a boneca, logo respondeu, porque ela mentiu para mim.
E aqui, não só eu conto as historias para Vitória, como também entrego os livros nas mãos dela para que ela me conte as histórias, e ela vai ali analisando as figuras e criando as historias segundo a mente dela. E posso garantir, ela tem apenas 3 aninhos, mas tem uma mente muito criativa.
O contato com o livro também favorece o sentido de conservação da criança, aqui em casa recortamos revistas, rabiscamos, mas os livros, nem os dela e nem os meus, nada é rabiscado, sem contar que quando tem outros amiguinhos aqui ela conta historias para eles e não deixa que ninguém estrague os livros.

E sei que na escola ela é igualzinha, conta historias para as Tias, ouve com atenção as leituras e inventa da cabecinha dela suas próprias historias.
Então vamos lá, firmes e fortes criar uma nova geração de bons leitores.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

De outros carnavais

O Carnaval chegou, e com ele parece que toda a população esquece um pouco de seus problemas, e foi o que eu fiz, resolvi um pouco esquecer dos meus, e sai com filhota para assistirmos os desfiles de rua, e acabei por notar que estou ficando velha.

A modernidade esta matando o carnaval, aquele carnaval gostoso, onde as famílias iam reunidas para as ruas do centro da cidade, e torciam para a sua escola ou bloco favorito ganhar.
A festa antes familiar agora se parece mais com uma orgia, para onde quer que se olhe tem um casal se pegando, se agarrando, e nesta acabo tendo que ter milhões de explicações para dar para a minha filha do por que aquele casal esta ali no escuro no meio mato se lá tem bicho.


Este natal senti saudades dos espirradores de água, que hoje em dia foram substituídos por sprays de espuma, senti falta do confete e da serpentina, que sinceramente, nem vi neste carnaval, a brincadeira do momento são os brinquedos luminosos.
Nada de matinês, nem de bailinhos que eu pudesse levar a minha filha para aproveitar, ai só sobrou mesmo os desfiles de rua, que antes começavam pro volta das 17 horas, e de uns tempos para cá começam as 21:00/21:30.
Ah que saudades que me deu de outros carnavais, de quando papai, mamãe, eu , vovó, maninha nos arrumávamos e íamos todos para ver o desfile, e duas ou três horas depois que chegávamos ao centro , papai ia até o tonilu e voltava de lá com bolinhos e refrigerante para todos, que saudades do saquinho de confete que jogávamos nas escolas quando elas passavam, dos fios elétricos cheios de serpentinas, que saudades do tempo em que carnaval podia ser considerado uma festa familiar.


Mas o jeito mesmo é eu me acostumar com essa modernidade, e aumentar meu estoque de respostas do por que a mulher esta pelada?, por que o homem esta beijando ela?, por que os meninos estão brigando? por que o moço esta fazendo xixi na rua?.
De tudo só uma coisa não mudou, o efeito meio que mágico do carnaval, que durante 4 dias parece varrer todos problema existente a nossa volta.
Que nos próximos carnavais as famílias possam sair as ruas sem se envergonhar do que irão ver, que as crianças brinquem o carnaval como crianças, e não como adultos precoces, e que os adultos não se comportem como crianças inconsequentes.
E que um dia volte o encanto de outros carnavais!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Cuidando dos reflexos

espelhoMuitas vezes vemos nos outros falhas que são nossas, mas não a assumimos.

Nos últimos tempos notei que minha filha Vitória anda muito mais agitada, mal comportada, birrenta, e juntando a tudo isso, acorda todos osdias de madrugada para comer e ver desenho

Quem vê de fora dirá, nossa, menina de mal comportamento, tão pequeno e já tão desregrada. Errado! Mãe que abriu mão de algumas regras, que mudou os hábitos e isso confundiu a cabeça dela com certeza.
Descobri em mim a solução para os problemas com os hábitos da Vitória.

Antes tinhamos passeios frequentes, e eu chegava do trabalho e me acabava de brincar com ela, ai quando íamos dormir, ambas estavam cansadas, e com isso o sono era mais proveitoso.
Hoje chego dou atenção, até brinco, mas na maioria dos dias assitimos desenho e dormimos, para uma criança que já dormiu durante a tarde, é lógico que sobra bem pouco sono para  a noite.

Antes os passeios eram semanais, na realidade, quase que diarios, todo dia achava o que fazer na rua, parquinho, shoppinterapia, brincar na rua, andar de bicicleta, e agora só saimos nos meus dias de folga e olhe lá, porque a maioria deles estou em casa, com a atenção toda voltada paras as pequenas reformas que estou fazendo e para as que ainda quero fazer.
Aí eu me pergunto, foi ela quem mudou? Ela que está mal comportada?Não!
Crianças são extremamentes sensíveis ás mudanças de hábitos em casa, podemos construí-las ou destruí-las em seus bons hábitos.

E é justamente para esta sensibilidade que estou voltando as minhas atenções agora. Para o resgate da mãe que sempre fui, e que me trará de volta a filha que a minha princesinha sempre foi.

Reeorganizei minha mesa do computador, para que volte a caber o lao top de brinquedo dela, para que ela volte a me fazer companhia sempre que eu quiser estar na internet. Reorganizei meu tempo e minhas tarefas, para que haja tempo de eu brincar de bonecas, de comidinha, assistir filme, e ainda sim, passear na rua, no parque, na pracinha.
Reorganizei o cardápio e os horários das refeições, e voltei a brincar de desenhar com a comida nos pratos, e deu resultado, pois hoje o jantar foi devorado todinho, e aos poucos, os olhinhos de ovos cozidos, o nariz de tomate cereja, a boquinha de arroz, o cabelinho de feijão e toda a saladinha que enfeitava o prato.
E o abraço que ganhei me mostrou que voltei ao caminho certo.

As vezes culpamos as crianças sem parar para pensar que somos espelhos, e que as crianças agem segundo o que refletimos para elas.
Bem vinda a nova temporada de lazer e prazer aqui na nossa casinha e na nossa vida.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

30 anos, algumas cicatrizes na alma, algumas quedas, algumas derrotas, mas sempre na luta

Feliz-aniversário-animados Mãe, este é meu 6º aniversário que não será comemorado ao seu lado, e o 1º que irei comemorar com uma alegria legítima, inteira.
Seu abraço com certeza ainda me faz tremenda falta, mas o seu exemplo e suas lições, hoje bem melhor entendidas por mim, mantém você sempre por perto de uma maneira muito positiva.
A vida me deixou marcas que eu não aprendi a esquecer ainda, que eu não consigo deixar no passado, e nem sei se algum dia conseguirei, mas o bom, é que os anos me trouxeram maturidade para lembrar das dores, chorar por elas, levantar a cabeça, enxugar as lagrimas e recomeçar, e a cada recomeço, com muito mais vontade de viver, realizar e crescer.
Morri e renasci diversas vezes nestes últimos 6 anos, e das lições que tive que aprender, ser forte foi a que mais exigiu de mim, é a que mais exige de mim.
Hoje eu entendo o seu sorriso contagiante, e o quanto você gostava de ter seus familiares ao seu lado, esta era a lição que você queria que eu aprendesse, que o importante não é aquilo que se tem, mas quem sem tem na vida, e você tinha o amor incondicional de todos.
Cheguei a cogitar comemorar o dia de hoje com festa e badalação, mas você bem me conhece, sou mais do tipo de ter ao lado os velhos e bons amigos, e na impossibilidade desses, o silêncio com certeza será a melhor de minhas companhias, mas que isso não signifique tristeza, pois a segunda lição que você me ensinou e que aprendi bem, é ser feliz comigo mesma, no silêncio, na solidão, no meu mundinho particular.
Poder hoje comemorar 30 anos, é uma vitória sem igual para mim, e você é uma das poucas pessoas que sabem bem o que isso representa.
O seu único defeito minha fada, foi não ser eterna, para poder ver de perto os seus exemplos sendo postos em prática.
Com 30, 60, 90 se é que eu chego lá, serei sempre a sua menina, aquela que não desgrudava de você, que adorava segurar sua roupa para que você não se levantasse do meu lado, a mesma dos abraços apertados e dos beijos que de tão fortes doiam, a mesma das conversas de madrugada.
Hoje apesar de estar completando 30 anos, comemoro em especial 6 anos, porque 24 anos foram fáceis tendo você como guia, como protetora, já os ultimos 6 anos, nossa, perdi as contas das inúmeras vezes que as dores vieram insuportáveis e eu desejei morrer, que eu desejei abandonar a luta, aí era só fechar os olhos e pensar em você, e brotava em mim uma força sem igual.
3.0 e renascendo, vendo cor novamente na vida, e desta vez de uma forma plena, esta energia só pode mesmo vir de você.
Me chamariam de louca se soubesses das nossas conversas que permaneceram mesmo após sua partida, me chamariam de louca, mas se estivem perto também teriam sentido o teu perfume pelo ar, no dia em que nos despedimos.
Obrigada mãe, por ter resgatado a minah vida, ter dado um sentido a ela, e por ter através de seus exemplos e vontade de viver, salvo a minha vida.
Hoje a festa será dentro de mim!
Um feliz aniversário para mim, que a força de vontade que sinto hoje não se acabe, que a vontade de viver jamais diminua, que as conquistas se ampliem, que o coração não esmureça, e que a felicidade nunca deixe de ser partlhada.
Fortalecendo o motor e mudando a carroceria, esta sou eu, com 3.0 de potência.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Se o BBB não está bom pra você, desligue a TV!

No dia de ontem vi e ouvi uma coisa que eu não sabia se ria, ou se dava um puxão de orelhas na praga que estava falando.

Para variar o assunto era BBB, que até o presente momento tive a sorte de não ter assistido um dia se quer. Duas distintas auxiliares de enfermagem conversavam no posto de enfermagem sobre o caso absurdo do rapaz que foi expulso acusado de ter abusado de uma participante, chocante, isso é claro se não levarmos em conta que o programa já é um grande abuso, mas então, estavam as duas ali, discutindo o fato e recriminando que na TV em horário como é o do programa passasse tanta coisa de cunho sexual, até que uma delas soltou: acho que um programa desses deveria mesmo sai fora do ar, e o rapaz abusou dela sim, dava pra ver, eu tenho pay per wiew e vi tudinho.

Foi exatamente nesta hora que senti uma louca vontade de dizer, o imebcil, seja coerente, você fala que o programa é ruim, que ofende a moral, que deveria sair do ar, mas paga para poder ver tudo pela internet, a mil desculpas, mas a imoral é você!
Brasileiro é o povo mais alienado que existe, só pode, o cenário político bombando, um monte de coisas importantes acontecendo no país, no estado, na nossa cidade, e o povo todo parado assistindo BBB.

Se ninguém percebeu, BBB virou assunto nacional, e o programa não sai do ar por um fator bem simples, esta baixaria toda é o que mais tem dado audiência, ou seja, milhões de televisores todos os dias no mesmo horário estão ligados no mesmo Bat canal, assistindo a mesma baixaria.

A sociedade reclama de algo que somente ela pode parar, está nas nossas mãos, mais do que em qualquer órgão regulamentador, a qualidade daquilo que deixamos entrar em nossas casas.

BBB reúne em um único programa apologia ao consumo excessivo de álcool, que nada mais é do  que uma droga legalizada, exposição absurda da intimidade das pessoas, o que demonstra que muita gente esta na merda porque esta mais preocupada com a vida do outro do que com a sua própria vida, e o sexo livre, sem preconceito e/ ou tabus, em outras palavras, Sodoma e Gomorra.

Ai um amigo vem e me diz, ah Fer, brasileiro rala muito o tempo todo, precisa de uma distração, desde quando putaria é distração? Não vou fazer nenhum discurso moralista a respeito do sexo livre que é mostrado na TV, mas sempre achei sexo mais interessante a dois, e esses dois a sós, sem platéia, e se quer distração, vá ao cinema, faça um passeio, assista um filme em casa mesmo, namore (mas não faça isso em público).

Famílias inteiras sentam-se na frente da TV pra ver BBB, mas não tem o mesmo ânimo de se reunirem para celebrarem a família, resolver os problemas domésticos, a vida esta uma merda, mas e daí, vamos ver um pouco o que outras pessoas estão fazendo da vida delas.

Está todo mundo recriminando,mas como pode haver algo não consentido num programa que é voltado pro sexo? e com tantas pessoas nos bastidores, por que ninguém interrompeu? alguém que tenha assistido me diga, o rapaz arrastou a menina pro quarto, rasgou as roupas dela, uma pobre moça puritana? Se não foi ela a permitir, a Rede Globo foi permissiva quando não interrompeu ao notar o que estava acontecendo.
Positiva ou negativa, a rede globo conseguiu a atenção que tanto queria, pega-se dois trouxas, embebeda-se os mesmos, e dai em diante, marionetes da cultura midiática, se é que a palavra cultura se encaixa no contexto.

Me desculpem, mas cada povo sabe aquilo que cultiva e portanto, sabe o que merece colher.

BBB está ruim pra você? Desligue a TV!

domingo, 22 de janeiro de 2012

Suas digitais

digitaisVocê veio assim de mansinho, chegou sem grandes promessas, sem criar expectativas.
Veio cheio de manias, bem diferentes das minhas, bem mais perfeccionistas que as minhas.
Foi amigo quando de um amigo precisei, foi silêncio, foi o som manso de uma voz macia, que não se esqueceu nenhum dia do meu telefonema de bom dia.
E a sua maneira extremamente discreta de ser, que a principio me encheu de dúvidas, hoje é um dos motivos do meu encanto.
E com paciência, insistência e muita persistência, hoje você faz parte do que compõe o melhor de mim.
Reconheço que este ano direcionei minha vida para uma direção que talvez me impeça de estar com você o quanto desejamos, o quanto seja necessário, mas isso não significa que você não me seja importante, apenas que surgiram novas prioridades.
Você é o alguém que sempre desejei, mas está mais que na hora de eu tornar-me o alguém que você além de desejar, mereça.
Não se preocupe em ser esquecido, porque para onde quer que eu olhe tem um pouco de você.
Você deixou digitais em mim, marcas que não podem ser tiradas, porque foram feitas no meu coração, e que carrego com a maior alegria que há em mim.
E que você entenda que não estou te dizendo adeus, e sim que estarei menos presente, ou mais ausente você costuma dizer.
É chegada o tempo de se ter paciência, porque eu estou renascendo, e é um processo complicado, estranho e para mim doloroso,mas que não pode mais ser adiado.
Boa parte das pessoas que eu conheço, já chegaram aonde gostariam de estar, ou pelo menos estão bem próximas de onde gostariam, mas eu estou só no início da minha caminhada.
E já te adianto, não pretendo caminhar sozinha, e tão pouco na ausência de sua companhia.
Chegar aonde quero, sem você, sem seu incentivo, não teria o mesmo valor.
E então, se responsabiliza pelas digitais deixadas em mim?